quarta-feira, 16 de abril de 2014

Bacalhau - Como escolher




O bacalhau costuma ser um ingrediente tradicional na Páscoa. O que muita gente não sabe é que ele não é apenas um peixe, mas vários, que passam por um processo de cura e salga. Cinco espécies podem ser vendidas com essa denominação. O Mais valorizado, chamado de verdadeiro bacalhau, é da espécie GADHUS MORHUA, também conhecido como Cod ou Bacalhau do PORTO. Sugestão de Receita. Ou espere a próxima Postagem - Bacalhau ao Zé do PIPO.
Confira os principais tipos de bacalhau abaixo:

1. Bacalhau do Porto (Cod Gadus Morhua): é o melhor e mais caro. Tem carne branca, macia e saborosa. Seu filé é ótimo para ser assado ou usado em postas. As aparas laterais desfiam e rendem molhos, saladas e tortas.


2. Gadus macrocephallus (Bacalhau do Pacífico): menor, mais barato e de qualidade inferior. Tem a carne mais firme e difícil de desfazer em lascas. Pode ser usado em ensopados, recheios de tortas e bolinhos.

3. Ling: Distingue-se dos outros por ser mais estreito. Macio e saboroso, também fica bom em assados ou em lascas.

4. Saithe: é um primo mais barato do Cod, e é bastante popular no Brasil. A carne não é tão clara quanto à dos outros, mas é bem macio. Perfeito para saladas, risotos e bolinhos.

5. Zarbo: é o mais simples da família, menor de todos e o que tem a melhor carne para fazer bolinhos ou refogados.  Tem muita aceitação no mercado brasileiro.



Dicas e Curiosidades
 - Uma dica para dessalgar é trocar a água de 8 em 8horas. Dependendo do tamanho do lombo pode demorar até 70 h.

- Quando dessalgado e hidratado, o bacalhau chega a ganhar cerca de 30% do seu peso.

- Para bolinhos, é bem mais econômico utilizar bacalhau em lascas.
- Apesar de não haver bacalhau em águas portuguesas, o Bacalhau do Porto recebe esse nome devido a essa cidade ser um importante centro de comércio de peixe seco e salgado que chega em especial da Noruega.

- O mercado Brasileiro é um grande consumidor de bacalhau norueguês: por aqui ficam cerca de 30 % dessa produção.
Fonte: Caderno Saborear, Jornal A Notícia, de 31 de março de 2013.