sexta-feira, 4 de abril de 2014

Como ler os rótulos dos alimentos




Em recente pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde indicou que 70% das pessoas leem os rótulos dos alimentos que compram, porém mais da metade não sabe o que significa.

Neste Post pretendo explorar os principais itens a serem avaliados no rótulo.

Ingredientes
Essa é uma dica importantes, você sabia que a ordem em que eles aparecem tem relação com a quantidade de cada ingrediente no conteúdo total.
Exemplo: A farinha enriquecida pode ser o primeiro ingrediente de um bolo – o que significaria que ela é o principal na receita. Mas daí você nota que no resto da lista tem frutose, xarope de milho, melado, dextrose… todos nomes diferentes para a mesma coisa: açúcar! Somando tudo, descobre que o açúcar, no fim das contas, é o principal ingrediente. Isso acontece muito em sucos também, cuidado na próxima vez que comprar um “suco de laranja” onde o primeiro ingrediente é açúcar!

Porção: É a quantidade média recomendada para consumo daquele alimento dentro de uma dieta saudável. Geralmente, aparece em gramas ou mililitros. Preste bem atenção nesse item, porque os dados presentes no rótulo são sempre para uma porção, que pode ser, por exemplo, duas fatias de pão de forma, ou 50 gramas. Se você tem o hábito de consumir apenas uma fatia, divida os valores da tabela pela metade.

Saiba o que está comprando

% VD
Significa Valor Diário e indica a quantidade de energia (calorias) e nutrientes que o alimento traz em relação a uma dieta média de 2 mil kcal.
Uma sopa pronta possui 30% das necessidades diárias de sódio. Isso é demais. Não vale mais a pena comprar os legumes e você mesmo fazer uma sopa rica em potássio e pobre em sal.

Valor energético
São as famosas calorias (kcal). Representam a energia que nosso corpo produz a partir do consumo daquela porção de alimento.
Necessidades diárias: 2.000 calorias (média para um adulto saudável)

Carboidratos
Atuam como fontes de energia, por isso é preciso consumir a quantidade adequada desse nutriente. São encontrados em pães, tubérculos, massas, farinhas e doces em geral.
Necessidades diárias: 300g

Proteínas
Auxiliam a construir e conservar tecidos, órgãos e células, além de proporcionar uma sensação de saciedade. Carnes, leite e leguminosas contêm boas doses do nutriente.
A necessidade diária é de 75 gramas.


Gorduras totais
Auxiliam no transporte de vitaminas A, D, E e K, mas o seu consumo deve ser moderado, pois aumentam o peso.
A necessidade diária de gordura para um adulto saudável em uma dieta de 2000 calorias é de 55 gramas

Gorduras saturadas
Encontradas em produtos de origem animal, como carnes, queijos, leite integral e manteiga, aumentam o risco de doenças cardiovasculares.
A necessidade diária não passa de 22 gramas.

Gorduras trans
Estão presentes em produtos industrializados como salgadinhos, bolachas, sorvetes e margarinas. Aumentam os riscos para o coração.
. A Anvisa recomenda que não se consumam mais de 2 gramas desse componente num dia.

Sódio
Presente no sal de cozinha e em alimentos industrializados  (salgadinhos de pacote, molhos prontos, embutidos)  o sódio atua na regulação hídrica e até no funcionamento do cérebro. Mas, em excesso, pode ser bastante prejudicial, provocando retenção de líquidos e aumento da pressão arterial. Por isso, os hipertensos devem controlar o consumo desse nutriente. O bom mesmo é evitar alimentos com %VD de sódio elevado. A necessidade diária é de 2400 miligramas.

Fibra alimentar
As fibras garantem o bom funcionamento do organismo, o controle das taxas de glicemia e colesterol, além de aumentar o efeito de saciedade. São facilmente encontradas em frutas, hortaliças, feijões e alimentos integrais.
Vinte e cinco gramas por dia já trazem todos esses benefícios.

Porção (em grama ou mililitro)
Trata-se da quantidade média recomendada para consumo para manter uma alimentação saudável. Vale ressaltar que a os valores nutricionais não correspondem ao alimento inteiro. Um pacote com 90 g de salgadinho pode conter uma tabela nutricional relacionada a uma porção de 30 g. Neste caso, para descobrir as calorias consumidas, é preciso multiplicar os valores da tabela por três.

Medida caseira
Indica a porção de um alimento segundo uma medida usada pelo consumidor, tais como: fatias, unidades, pote, xícaras, copos, colheres de sopa. Informar a medida caseira é obrigatório


Fonte
1) Jornal A Notícia - Joinville -SC, de 17 de junho 2013
4) Anvisa – Rotulagem